ACUPRESSÂO e ACUPUNTURA

Segundo os terapeutas, o corpo tem 14 centros de energia imaginários, também chamados de “meridianos”. Cada um é ligado a um determinado órgão do corpo. A energia flui continuamente ao longo desses meridianos, mas se há um bloqueio em qualquer um desses pontos, resulta em doença.

Quando se aproximar de um terapeuta com a sua queixa, ele vai avaliar o problema e localizar o bloqueio.
Ele “incidirá sobre a liberação da energia centros congestionados pela aplicação da pressão de contato, criando um fluxo de energia harmonizada” para restaurar sua saúde.

Essa terapia é baseada no princípio de que o nosso corpo é uma massa de nervos e veias cruzadas, assim como em qualquer placa de circuitos elétricos, são altamente interconectados. E, a quantidade de pressão aplicada em uma parte particular vai revelar o seu efeito em outra.
Origens:
Acupuntura e acupressão são disciplinas inter-relacionadas que têm suas raízes na antiga medicina chinesa. Existem muitas lendas que tentam explicar suas origens. Existe uma lenda que diz que, quase 3.000 anos atrás, os guerreiros chineses depararam com a terapia, muito pelo acidente, já que estavam feridos no campo de batalha, perfurados por flechas. Quando se recuperaram, a maioria dos soldados alegou que eles experimentaram alívio pela primeira vez de uma doença crónica.

Acupuntura envolve o uso de agulhas esterilizadas. Os furos são feitos ao longo dos meridianos, com base nos princípios da filosofia oriental, que o corpo é um rio que flui enorme e cheio de energia, ou QI prana. Se o QI é perturbado, em qualquer ponto, não haveria bloqueio. Este acabaria por resultar em doença.

Os furos no corpo são feitos ao longo das áreas em que o bloqueio ocorreu para liberar o atolamento, resultando no livre fluxo de energia da vida, mais uma vez. A acupressão acredita-se, foi inicialmente desenvolvida pelos budistas na China. Eles acreditavam profundamente e propuseram a teoria da não-cura, alternativa invasiva.
No início de 1990, no auge do pânico da AIDS, as pessoas começaram a ter uma aversão coletiva de agulhas. Terapeutas redescobriram uma alternativa mais suave – a acupressão – que envolveu apenas a aplicação do toque medido. Ela foi encontrada para ser tão eficaz na promoção da cura sem efeitos colaterais.

O QUE DIZ A CIÊNCIA OCIDENTAL:
 Quando o assunto é Qi e meridianos, os cientistas ocidentais preferem encontrar outras explicações médicas mais aceitáveis para o fenômeno representado pela acupressão e acupuntura. Eles preferem associá-lo a componentes químicos aliviadores da dor, como as endorfinas, e também à “teoria da porta de controle” para o alívio da dor.

De forma simples, de acordo com esta teoria, mensagens de pressão transmitidas pelos nervos alcançam o cérebro mais rápido do que as mensagens de dor. Uma vez que o cérebro, só consegue receber certo número de mensagens de cada vez, a “porta” se fecha quando os sinais de dor chegam.

É como se a pressão estimulasse fibras nervosas que sobem através da coluna vertebral, resultando em última instância na produção de endorfinas, morfina – compostos similares que influenciam os sistemas hormonal e imunológico, e inibem a percepção do cérebro, especialmente quando associados à ansiedade e ao stresse. 
Mas, por que, por exemplo, o estímulo de certos pontos específicos, e não de outros, desencadeia certas respostas do cérebro? E de que forma estas repostas induzem uma reação em outra parte do corpo, aparentemente sem relação alguma com a primeira? Se os agentes neuroquímicos são os responsáveis, quais os canais através dos quais eles operam? Nem o sistema nervoso, e nem os sistemas vascular ou linfático, conseguem esclarecer completamente este fluxo de informação.

Será que existe um padrão de energia – possivelmente eletromagnético – baseado nesses antigos meridianos chineses - tão sutil, que a tecnologia moderna ainda não conseguiu detectar? Ninguém realmente sabe.

Os cientistas chegam a admitir claramente estarem na Idade da Pedra quando confrontados com explicações a respeito das complexas interações entre a mente e o corpo.
Em um estudo, traços radioativos, injetados em pontos da acupuntura, pareceram viajar através de caminhos semelhantes aos meridianos, sem nenhuma relação com os sistemas linfáticos, ou de circulação de sangue, e, de acordo a alguns pesquisadores, parecem indicar um mecanismo neuroquímico de transmissão da informação.

A acupuntura e a acupressão trabalham com os mesmos princípios: 
A medicina moderna vê estritamente o corpo em partes e não como um todo integrado. É por isso que cada parte do corpo é tratada através de medicamentos específicos, em separado. Por exemplo, se você tiver dor de barriga ou dor de cabeça, e se dirigir ao seu médico, você está com toda a probabilidade de usar um medicamento que tem como alvo apenas os órgãos específicos do corpo que estão em perigo.

No entanto, sistemas alternativos de medicamentos, como acupuntura, têm mantido por muito tempo a idéia de que o corpo humano não pode ser alvo em pedaços e que uma doença que afeta uma parte da anatomia pode, de fato, ter sua fonte em outro lugar. Atacar o problema na sua raiz pode trazer uma cura duradoura. Acupressão é uma forma ideal de tratamento, uma vez que ela faz isso de uma forma muito suave.

A combinação com outras terapias:
A acupressão na Índia, é geralmente, combinada com Reiki e outros modos conhecidos de curas alternativas, incluindo a homeopatia. Em vez de pressão, em alguns casos, as sementes de trigo cores, ímãs, também são utilizados nos meridianos para remover o bloqueio do fluxo de energia.

A Yoga também pode ajudá-lo a tornar-se mais propício à terapia da acupressão. Um rápido passeio também vai facilitar a respiração profunda, pois acalma a mente, e libera a energia associada com a cura. Em momentos como este acupressão torna-se mais eficaz como a energia flui através de nossos corpos mais harmoniosa.

Muitas pessoas não percebem que doenças podem ser curadas através de um sistema simples de toque -, aplicando e liberando pressão nos pontos meridianos do corpo que são conhecidos por estar relacionado com a atividade dos vários órgãos.  A pressão aplicada envolve uma abordagem personalizada.
 Uma teoria diz: Sinta-se e se entregue a pressão, correlacionando a resposta do paciente. Portanto, o melhor juiz da pressão correta seria os próprios pacientes. Este, na verdade, promove a autocura.

Embora a acupuntura e acupressão, sejam frequentemente descritas como autoterapias de cura, uma compreensão mais profunda do assunto é necessária antes de tentar curar a si mesmo e os outros.
Não use acupressão para substituir os procedimentos de emergência padrão, ou tratamento médico licenciado. A acupressão deve ser usada como uma terapia complementar. Verifique com um especialista antes de optar por tratamento.

De acordo com as restrições da OMS, não execute acupressão / acupuntura imediatamente antes, ou no prazo de 20 minutos, após o exercício pesado, uma grande refeição, ou tomar banho. Selecione o seu terapeuta com cuidado. Enquanto a maioria dos terapeutas são médicos, muitos podem ser apenas treinados, ou especializados no tratamento, sem formação médica.

Acupressão na gravidez:

Terapeutas concordam que a acupuntura é uma bênção disfarçada para mulheres grávidas. Estima-se que 80 por cento de todas as mulheres grávidas sofrem de dores, ou velhos distúrbios fisiológicos que se manifestam antes e após a gravidez. Acupressão tem dado bons resultados no alívio do stress da gravidez, tornando assim os trimestres menos desconfortáveis.

A maioria dos ginecologistas e obstetras de todo o mundo, hoje recomendam a acupuntura como uma das mais seguras formas de terapia. De acordo com informações divulgadas pela OMS, “A acupuntura, regula a função intestinal e melhora a resposta imune sem causar um desequilíbrio da flora intestinal, assim como antibióticos”.

Usando Acupressão:
Para estimular um ponto aplique uma pressão forte com:


As ilustrações e o texto dão a localização aproximada de um ponto. Explore a área com uma pressão profunda e vigorosa, até você sentir o ponto exato devido à dor aguda.
Começa com uma sacudida, depois de um instante se torna uma sensação dormente, ou um formigamento vindo do ponto. Você pode levar um susto na primeira vez, mas a sensibilidade diminui com a experiência. Quando encontrar o ponto, aplique a pressão de 15 a 30 segundos. Repita com o mesmo ponto, do outro lado do seu corpo. Você deve sentir alívio imediato. Você pode se sentir livre da tensão, com a drenagem do suor. Talvez você arrote ou solte gases. Às vezes, pontos nos lados opostos do corpo, responderão de formas diferentes.

Se os sintomas aumentarem, não use esse lado ou ponto. Se o primeiro ponto não funcionar, tente o próximo ponto, ou pontos, até você encontrar um que funcione. Pode haver mais de uma abordagem a seus sintomas, tal como 'rins' X 'dor nas costas'. Quando encontrar um ponto que ajuda, trabalhe esse ponto. Se o alívio é temporário, reestimule o local. Algumas vezes a dor passa e retorna três ou quatro vezes, cada vez em menor intensidade. Seu objetivo é a harmonia interna, então, fique em um local silencioso, sente-se ou deite-se e relaxe. Evite música alta, exercícios, alimentos, drogas ou álcool enquanto estimula seus pontos de pressão.
Fonte: http://www.gazetadebeirute.com/2013/02/acupuntura-e-acupressao.html#ixzz2exqCQre0
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike


O que é

A acupuntura é um conjunto de práticas terapêuticas inspirado nas tradições médicas orientais. Criada há mais de dois milénios, a acupuntura é um dos tratamentos médicos mais antigos do mundo. Consiste na estimulação de locais anatómicos sobre ou na pele – os chamados pontos de acupuntura.
Diferentes abordagens para o diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças são realizadas, entretanto o procedimento mais adotado no mundo atualmente é a penetração da pele por agulhas
metálicas muito finas e sólidas, manipuladas manualmente ou por meio de estímulos elétricos.
De acordo com a tradição chinesa, a técnica é capaz de ajustar canais energéticos do corpo, chamados na acupuntura de meridianos, de acordo com equilíbrio de yin e yang. A medicina ocidental e moderna, contudo, sugere que o método estimule a libertação de substâncias químicas que alteram o sistema nervoso e podem ter efeitos em todo o corpo, promovendo o equilíbrio do organismo. Sendo assim, está muito associada a transtornos orgânicos resultantes de tensões emocionais como o stresse.
O diagnóstico é feito após o questionamento de diferentes aspectos da vida do paciente e a observação de manifestações físicas como a pulsação, a respiração, cor e aspecto da pele e da língua. Assim que o problema é identificado, o paciente pode ter alguns de seus mais de mil pontos de acupuntura estimulados em diversas e frequentes sessões.
Para que serve

A acupuntura busca a recuperação do organismo como um todo pela indução de processos regenerativos, normalização das funções alteradas, reforço do sistema imunológico e controle da dor.
Embora pesquisas tenham demonstrado que a acupuntura pode realmente desativar áreas do cérebro associadas a dores, não se sabe exatamente se o método constitui um mecanismo que sustenta ou contribui para o efeito terapêutico sobre uma pessoa.
De qualquer forma, a técnica sobrevive há milênios, mostrando benefícios a indivíduos com problemas gastrointestinais, respiratórios, musculares, urológicos, endocrinológicos, psicológicos e neurológicos, ginecológicos e até mesmo dermatológicos.
A acupuntura é especialmente indicada para a redução da dor em casos de fibromialgia e dores
localizadas nas costas, tratamento de náuseas e vômitos em pacientes que se submetem a quimioterapias ou cirurgias, e diminuição da tensão emocional.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a prática um complemento da medicina moderna. Nos Estados Unidos, foi recomendado apenas no ano passado pelo Instituto Nacional para a Saúde e Excelência Clínica (NICE) como opção de tratamento para dores nas costas pelo sistema público de saúde do país.
No Brasil, a acupuntura é reconhecida como especialidade médica conforme deliberação do Conselho Federal de Medicina e consta na Tabela do Sistema de Informações Ambulatoriais (SAI/SUS) do Ministério da Saúde.
Curiosidades
Experiências com ratos demonstraram que a acupuntura pode até triplicar os efeitos de um composto natural conhecido por suas funções antiinflamatórias e analgésicas.
Pesquisadores da Universidade de Rochester, nos EUA, observaram que tecidos próximos das agulhas tinham até 24 vezes mais adenosina, sugerindo que a imperceptível perfuração da pele possa acionar tanto o acúmulo da substância em tecidos mais externos da pele, como também a sinalização ao cérebro para criar endorfinas naturais contra a dor.
De acordo com a medicina chinesa, os meridianos energéticos que atravessam o corpo são afetados por energias “perversas”, que afetam o organismo de forma geral. Apesar de soar místico, a própria tradição ocidental considera que ventos, bactérias, vírus, lesões, traumas, ansiedades, frio ou calor constituam boa parte das energias “perversas”. A medicina moderna concorda.
Nem apenas de agulhas vive a acupuntura: a estimulação de pontos de acupuntura pode ser feita também pelos dedos (acupressão), com pedras quentes, laser e muitas outras técnicas. O importante, pregam os defensores da prática, é que os fluxos energéticos sejam retomados e a energia do corpo equilibrada.